Voz: Como direcioná-la de forma saudável

Voz: Como direcioná-la de forma saudável
16 de fevereiro de 2016 criatica
In Voz

 

Nesta página organizo todos os materiais que desenvolvi sobre VOZ em seus vídeos. Aqui você vai saber mais sobre:

  • Como a voz é produzida;
  • Eufonia x Disfonia;
  • Os determinantes da voz;
  • Problemas de Percepção; e
  • Dicas e Exercícios.

Esta página será constantemente complementada e atualizada.

Inscreva-se na nossa lista de e-mails para saber em primeira mão das atualizações.

 

O que é voz? Como ela é produzida?

A voz em si nada mais é do que um som. Nao é um músculo, não é um órgão, não é nada além de som.

Um som que demanda uma série de articulações. Para que ele seja emitido, precisamos ativar músculos e órgãos de diferentes naturezas como os músculos da face, do abdômen, ossos e ligamentos, além do sistema nervoso, do digestivo e também do respiratório.

Esse conjunto articulado chamamos de Aparelho Fonador, composto dentre outros pela boca, faringe, laringe, cavidades faciais, diafragma etc. Tudo que influencia na produção da sua voz.

O único músculo que é essencialmente vocal são as cordas vocais (ou pregas vocais). Elas são dois pares de músculos que ficam na nossa laringe. Quando o ar passa, eles vibram e produzem som.

Cadastre-se e acesse os conteúdos VIP's

Através de comandos do nosso cérebro, nós fazemos ajustes musculares (contração da barriga para controlar o diafragma e expelir mais ou menos ar) com o intuito de controlar a pressão do ar que passa pelas pregas vocais.

Esse som é amplificado nas nossas cavidades (boca, fundo de cabeça etc.), projetando o nosso som em diferentes tonalidades, ressonâncias e volumes.

Isso significa que, como em um violão, a vibração das cordas amplificada na cavidade daquela caixa de madeira gera um som característico.

Mas para que este som seja agradável, você precisa dentre outras coisas: afinar o violão, organizar acordes em harmonia, ou seja, controlar o uso das cordas para uma boa emissão sonora.

Já deu para perceber que com a voz o caminho é bastante parecido.

Mas calma! A gente não está aqui para se transformar em locutor ou cantor profissional.

Assim como em todas as outras áreas do Falar pra Câmera, a gente está aqui para tomar consciência dos processos e conseguir articular cada uma das nossas ferramentas de maneira mais controlada e assertiva.

Como são muitos os fatores que determinam como a voz será emitida, é fundamental que, antes de tudo, pensemos na saúde vocal.

 

SAÚDE VOCAL

Eufonia e Disfonia são os lindos nomes (só que não) dados à voz saudável e à voz doente, respectivamente.

A disfonia tem diversas origens: orgânica, ou seja, do seu próprio corpo, funcional (relativa ao mau uso da voz) ou mista.

Mas veja que não estamos falando de uma doença. A disfonia é um sintoma! É um alerta de que algo não está correto e precisa ser consertado.

Que fique claro: voz não dói. Se você tem ou sente algum tipo de incômodo, procure um otorrinolaringologista (ou só um laringologista) para o acompanhamento.

Existem atitudes ou práticas que são comumente aceitas como normais quando, na verdade, ao longo dos anos podem se tornar perigosas para a saúde da sua voz.

São práticas como: pigarrear frequentemente, pequenas tosses (que muitas vezes podem ser até um tique nervoso), refluxo, uma rouquidão frequente etc.

Se você notar essas práticas no seu dia-a-dia, procure acompanhamento porque elas machucam o seu aparelho fonador. E água mole em pedra dura…

A voz é também influenciada por emoções e hormônios. Você não acha fácil saber quando alguém que você conhece bem está triste? Geralmente você faz esse reconhecimento pela voz.

É… aquela ligação em que você ouviu um “alô” e teve que perguntar “Ué… que alô é esse? Tá tudo bem?”

E já que a voz é um som influenciado por diferentes aspectos físicos e psicológicos, devemos estar sempre atentos a esses indícios.

Então busque uma voz saudável especialmente se você utiliza a sua voz à exaustão em seu trabalho: telefonista, atendente, vendedor, professor, ator, apresentador. Todas essas profissões dependem da eufonia.

Acredite: não é pelo excessivo uso da voz que você pode ter problemas, mas sim pelo excessivo mau uso dela. Já se perguntou por que bebês choram e gritam tao alto e não ficam roucos?!

Bom, a resposta demanda a explicação de uma longa teoria, mas o exemplo é para mostrar que você pode usar a voz saudável como quiser. Basicamente os bebês ainda não foram influenciados pelo uso controlado e inadequado da voz.

 

Mas, se você é um desses profissionais ou quer apenas saber algumas boas práticas para manter a eufonia, eu indico:

1. Nunca dormir com ventilador muito próximo do seu corpo;

2. Evitar ar condicionado (eu sei o quanto isso pode ser difícil, mas, se for impossível, tente evitar trocas bruscas de temperatura, tenha sempre um casaco por perto.

3. Procure ter também uma garrafa d’água com você. Tome um copo por hora ou um gole a cada 20 minutos. Acredite: não é muito… é só uma questão de hábito.

4. Coma maça. Ela é ótima para a laringe.
5. Evitar bebidas geladas. Quando está calor podemos abrir uma exceção no dia, mas sempre com muito cuidado.

6. Pratique exercícios para que a sua circulação sanguínea e respiratória esteja sempre em dia.

 

Lembre-se de que toda e qualquer dor na laringe, na faringe, na garganta, não é bom sinal.

Não se desespere, mas tome cuidado. Cuide bem do seu maior instrumento de comunicação.

 

DETERMINANTES DA VOZ

A gente acabou de ver como a voz é produzida, mas isso não é o bastante para que a gente aprenda a controlá-la.

Para isso, precisamos ver o que determina, de fato, a aparência do som que a gente emite.

Alguns determinantes não são controláveis, mas é possível compensar algumas limitações da sua voz utilizando os outros determinantes que podemos controlar. Vamos a eles:

Tom: Relacionado à frequência da voz, ou seja, a frequência de vibração das suas cordas vocais. Quanto mais agudo, mais vibração – portanto mais esticadas e mais pressão sobre as cordas vocais Quanto mais grave, menos vibração e, portanto, mais relaxadas e menos pressão sobre as pregas vocais.

Ressonância: Relacionado à cavidade mais utilizada para a ampliação do som. Você pode utilizar mais as cavidades ósseas e nasais, a boca, a garganta, o nariz, o peito (tecnicamente: faringe, cavidade oral, cavidade nasal e seios paranasais). A sua voz será sempre uma mistura de ressonâncias, mas você pode controlar um foco para dar diferentes sentidos à sua emissão.

Timbre: É o determinante menos flexível. O timbre está mais relacionado à sua identidade vocal. É o DNA da sua voz, como diz o nosso amigo locutor Ricardo Silva. O timbre ele varia de pessoa para pessoa porque o que o determina é justamente as qualidades físicas: forma e tamanho da sua caixa toráxica, comprimento, grossura e textura dos ressonadores, comprimento, espessura e densidade das pregas vocais ou até mesmo a velocidade com a qual você consegue configurar todo o seu aparelho fonador.

É por isso que o seu timbre muda de acordo com a sua idade e sexo.

Volume: Está relacionado ao volume de ar que passa pelas suas pregas vocais. Quanto mais ar e menos pressão, mais baixo é o volume. Quanto menos ar e mais pressão, mais alto é o volume.

Articulação: A articulação não é um determinante da voz propriamente dito, mas eu o incluo aqui por questões de didática. Um som bem articulado faz toda a diferença. Muitas dificuldades de fala vêm da articulação, que é justamente o poder de falar todos os fonemas que as suas palavras e frases demandam. Sem comer letras, sem comer sons. Abrir bem a boca, controlar bem a velocidade dos sons emitidos.

Prestando atenção a estes determinantes, você já pode obter o controle da sua voz e deixá-la mais agradável, mais séria, mais animada, mais jovem, mais adulta. Basta você identificar as sensações que deseja e como esses determinantes se articulam para produzir essas sensações.

 

O PROBLEMA DA PERCEPÇÃO DA VOZ

A gente já falou sobre isso neste post sobre: Por que odiamos nossas vozes gravadas?

Mas resumindo, nós não gostamos de nos ouvir nos vídeos por uma questão de percepção.

Você já viu nesta página que nossa voz é puro som. E som é vibração. Essa vibração pode ser transmitida pelo ar ou por meios sólidos.

No caso da nossa voz, nós ouvimos e sentimos o nosso som pelos dois meios: pela vibração sólida dos nossos ossos e músculos internos, que dão uma característica mais grave à nossa voz e também ouvimos a vibração aérea, do som que sai da nossa boca e chega aos nossos ouvidos.

Sendo assim, quando ouvimos nossas vozes gravadas, ouvimos apenas a vibração aérea, sem os graves da vibração interna. Isso faz a gente achar que o microfone deixa a nossa voz fina, esquisita, chata.

No fundo, a sua voz é sempre a mesma e todas as pessoas sempre a ouviram assim. Então… sem paranoia.

Aceita a sua voz como é e utilize os determinantes para aprimorar a sua mensagem.

Entenda que, com a prática, a percepção da sua voz externa se aproximará à da sua voz interna. É uma questão de tempo.

 

DICAS E EXERCÍCIOS

Para te deixar mais tranquilo, separei 6 dicas / exercícios que sempre funcionam muito bem.

Dica 1:
Sempre que puder, leia seus textos em voz alta.

Dica 2:
Visite portais de notícias na Internet e perceba como os jornalistas lêem suas matérias (acompanhar vídeo + texto é o ideal)

Dica 3:
Faça sempre um alongamento antes de começar a gravar. Pescoço, ombros, face.

Dica 4:
Para alongar os músculos da face, faça caretas bastante exageradas na frente de um espelho. Comprima e estique o máximo de músculos que conseguir: incluindo a língua.

Dica 5:
Para o aquecimento vocal, tente cantarolar uma música de forma bastante anasalada utilizando “hum”.

 Dica 6:
Para trabalhar a sua articulação, coloque uma caneta deitada entre os seus dentes e empurre bem contra as bochechas. Leia de 2 a três parágrafos assim.

CONCLUSÃO

Ok, este não é um artigo e, por isso, é mais longo que o normal. Esta é uma página expositiva, que permanecerá aqui sempre, sendo atualizada a cada novo material produzido.

Minha última consideração é para que você preze sempre pela Eufonia, ou seja, pela saúde da sua voz.

Siga as dicas mas, acima de tudo, tenha sempre a sua mensagem clara. Porque é a sua mensagem que vai dizer o que deve ser feito com seu corpo, sua voz, seu equipamento, seu conteúdo e como a persona vai articular isso tudo.

Recapitulando o que vimos neste artigo:

  • Como a voz é produzida;
  • Eufonia x Disfonia;
  • Os determinantes da voz;
  • Problemas de Percepção; e
  • Dicas e Exercícios.

Depois de tanto ter escrito, deve ter ficado perguntas. Espero muito que sim porque quero complementar esta página com as respostas da pergunta que você fizer.

Portanto, se tiver alguma dúvida ou pedido, também não hesite em fazer porque quero muito ajudar você a fazer vídeos melhores e mais eficientes.

 

Shares

  • Rosemary

    Para fazer videos só com áudio, o que devo fazer para aprimorar a comunicação; só falando?

Pin It on Pinterest

APRENDA A INVESTIR NOS EQUIPAMENTOS CERTOS COM ESSE CURSO GRATUITO

x