O que é o Programa Falar pra Câmera

Vamos falar um pouco sobre minha proposta com esse projeto, quem sou eu e porque estou aqui.

Olá, eu sou o Vitor Alli e aqui eu vou te mostrar mais sobre:

  • Como melhorar a sua performance na frente das Câmeras;
  • O que de fato é o Método Falar pra Câmera e como ele pode te ajudar;
  • O que realmente é importante para você finalmente superar o medo da câmera e adquirir confiança para gravar vídeos

Você vai descobrir também como um menino tímido se colocou na frente das câmeras e já recebeu, ao todo, 10 prêmios por isso.

 

Olá, eu sou Vitor Alli, diretor de vídeos há mais de 10 anos e fundador do Método Falar pra Câmera. Estou muito feliz que você tenha resolvido saber mais sobre mim e sobre o meu trabalho.

Durante as minhas pesquisas, eu pude notar que as informações encontradas na Internet sobre como elevar a sua performance na frente das câmeras eram levianas demais. Mesmo em cursos estrangeiros, o ato de Falar pra Câmera era visto ora apenas pelo viés psicológico, ora apenas pelo lado físico – o que para mim é um grande erro.

Para mim, não adianta encontrar um exercício milagroso que melhore a sua performance em 10 minutos mas que nao te dê consciência das mudancas que ocorrem na sua forma de se comunicar. A comunicação eficiente vem da consciência do que é dito e de como é dito.

Esta é a nossa proposta de estudo aqui. Quero ver você preparado para qualquer tipo de comunicação que o seu negócio ou projeto precisar fazer.

Sendo assim, o site Falar pra Câmera é um agregador de informaçoes sobre comunicação em vídeo e se baseia nos princípios do Método Falar pra Câmera.

Só aqui você vai aprender a obter consciência sobre os 5 elementos responsáveis pelo controle da sua imagem no vídeo:

1. CORPO: GESTOS, POSTURAS, EXPRESSOES ETC

2. VOZ: TOM, RESSONÂNCIA, TIMBRE ETC

3. CONTEÚDO: PREPARACAO, TEXTO, LEITURA ETC

4. EQUIPAMENTO: LINGUAGEM AUDIOVISUAL, CAMERA, AUDIO ETC, E

5. PERSONA: PAIXAO, ENERGIA E PERSONALIDADE.

A partir deles e da desmitificação dos processos da produção de vídeos, você estará apto para perder o medo da câmera e potencializar a sua imagem na hora de passar informações utilizando o vídeo, alcançando o máximo de eficiência na sua performance.

O site está aberto, meus conhecimentos adquiridos serão repassados com métodos e técnicas lúdicas e didáticas para facilitar a assimilação.

E antes de pedir a sua confiança, eu te convido a ler este post até o fim, navegar pelo site, conhecer e avaliar bem o conteúdo deste site. Considere antes de tudo se ele é de fato útil para o seu negócio.

Mas vamos aprofundar no assunto e descobrir como o método funciona e como começar a perder o medo da câmera e adquirir controle da sua imagem em vídeo.

O GRANDE SEGREDO

Se você está procurando aprimorar as suas técnicas de utilização do vídeo para alavancar os seus negócios, você está no lugar certo.

Se você não se sente confiante em relação aos seus vídeos e não está conseguindo passar a transparência e a segurança que gostaria, saiba que há muita gente na sua situação.

Mas a primeira coisa que você precisa saber para superar suas dificuldades e deixar a sua performance mais eficiente diante das câmeras é que: tudo é uma questão de controle da sua própria imagem.

A tão famosa dica do “seja você mesmo” é, na verdade, a proposta mais genérica e sem fundamento que você poderia receber para fazer melhores vídeos. E quantas vezes você já ouviu isso?

É absurdo porque:

1. Não há como você ser outra pessoa.

2. Não existe uma só maneira de ser você. Nós agimos de incontáveis formas diferentes durante o nosso dia-a-dia.

Já reparou como você se comporta se está no banco, na sala de aula, no trabalho, no bar, em casa, na praia? São maneiras diferentes, certo?

Já reparou que dependendo do seu humor também há diferentes formas de ser você: bravo, feliz, irritado, sério?

Já reparou que você assume diferentes papéis durante o seu dia: filho(a), pai, mãe, empregador(a), empregado(a), líder, professor(a), aprendiz, defensor(a), acusador(a)? E todos estes papéis são diferentes formas de ser você, não é mesmo?

Sendo assim, dizer “seja você mesmo” é tão genérico quanto alguém te dar uma receita sem as quantidades. (Saiba mais sobre isto no link sobre Consciência de Persona clicando aqui)

Do que você precisa são técnicas sólidas para obter o controle da sua imagem para o vídeo. E é isso que eu me proponho a apresentar aqui no Falar pra Câmera.

Além de superar seus medos e falsas crenças como os mitos do Carisma, da Transparência e da Feiúra, precisamos treinar o nosso olhar e a nossa atenção para as ferramentas dos cinco níveis de consciência (Clique aqui para conhecer os 3 Piores Mitos da Produção de Vídeos).

Todos os elementos precisam trabalhar em função da sua mensagem, de forma adicional e complementar.

Quanto mais nos aprofundamos, mais nos tornamos atentos e sagazes na utilização destes recursos. É um ciclo eficiente e de constante evolução.

Reitero que a prática é fundamental, mas garanto que já pelo questionamento e atenção aos 5 níveis de consciência você pode melhorar muito a eficiência da sua comunicação em vídeo.

Se você deseja essa auto-confiança e eficiência, não deixe de acompanhar os novos artigos publicados aqui no site.

SOBRE O SITE E O FUNDADOR:

De novo: fique à vontade para navegar e aproveitar todo o conteúdo deste site. Meu nome é Vitor Alli e vou ser o seu principal guia aqui no Falar pra Câmera. Eu cuido pessoalmente de cada detalhe para que sua experiência seja a melhor e mais enriquecedora possível.

Sendo assim, fico muito feliz quando recebo feedbacks para melhorar o site, o conteúdo. Fique à vontade para entrar em contato comigo pelo formulário do site ou pelas redes sociais.

>Clique aqui para acessar o formulário de contato<<

Você pode contar com a minha transparência. Quero repassar todo o meu conhecimento sobre comunicação em vídeo para contribuir com o seu projeto.

Sou formado em Comunicação Social pela UFRJ e trabalho como diretor e produtor há mais de 10 anos. De lá para cá eu me comprometi a ajudar pessoas e empresas a fazerem vídeos melhores e mais eficientes, ou seja, vídeos que cheguem a resultados desejados.

Minha missão de vida é tornar as pessoas mais conscientes sobre o QUÊ e COMO se comunicam.

Mas não foi fácil escolher um estilo de vida e uma carreira criativa. Minha família, assim como boa parte das famílias brasileiras, cresceu acreditando na segurança dos concursos públicos, desejando que eu tivesse um emprego formal, uma carreira comum – mesmo eu tendo visto diversos casos na minha própria família de pessoas concursadas que largaram o emprego público e seguro para se dedicarem a outros sonhos como empreender ou cuidar da família.

Não sei se posso dizer que foi difícil escolher minha carreira. Apesar de toda a pressão, não havia outro caminho para a minha felicidade na minha cabeça. Fácil também não foi. A sensação de decepcionar meus familiares e a incerteza de estar traçando um caminho de sucesso me acompanharam durante muito tempo.

Mas, sinceramente, as oportunidades foram surgindo sempre que eu me via conectado com a minha missão.

Um dos meus lemas hoje é: “quando você se coloca em movimento em direção à sua missão, você se torna um ímã de oportunidades”.

Mas eu comecei muito cedo a trabalhar. Fazia sites para as empresas do bairro, para o colégio etc. desde os 12 anos e com isso eu conseguia pagar meus cursos livres, comprar equipamentos muito simples, fazer upgrades no computador. Assim, de forma autodidata eu podia fuçar os programas de edição e com tempo adquirir os conhecimentos necessários em todas as áreas que mais me interessavam.

Foi assim que eu aprendi também a trabalhar profissionalmente com softwares como Photoshop, Illustrator, Première, After Effects, 3D Studio Max, Z-Brush etc.

Mas foi neste caminho, acreditando no meu sonho e me movimentando em direção a ele que as oportunidades foram surgindo.

Depois de jovem freelancer, assim que entrei na UFRJ eu me engajei em projetos de pesquisa e extensão, meus conhecimentos em design foram primordiais para eu me destacar e ganhar prêmio com um site de webart. Rapidamente consegui um estágio numa agência de design, a Go2Web, uma das maiores na época.

Mas o chamado vem quando a gente menos espera. E ele veio no dia em que fui cortar o cabelo.

> Se você estiver curioso para saber como o meu barbeiro mudou a minha trajetória de vida, clique aqui.<

Depois de ter participado do festival PUTZ em Curitiba e ter ganhado o meu primeiro prêmio, um primeiro lugar, e sair do festival com a admiração das pessoas, eu vi que minha vida realmente estava conectada à comunicação em vídeo.

E sinceramente, esaa tenha sido talvez a experiência mais transformadora na minha carreira. Porque logo eu, tímido, retraído, envergonhado, aquele menino que falava baixo, tentava esconder seus 1,90m de altura se curvando, logo ele tinha feito um vídeo se colocando na frente das câmeras e estava lá, se borrando de medo, em cima de um palco, recebendo seu primeiro prêmio.

E aquele prêmio significava muito naquele momento. Era um sinal forte de que eu estava no meu caminho. De que tudo que me falaram até então sobre morrer de fome, não ter emprego, tudo isso eram medos que eu não precisava ter. Que eu podia engajar centenas de pessoas com meus vídeos.

E foi assim que eu tive coragem de me colocar na Internet. Não deu outra.

Em números, nesses 10 anos foram mais de 5 curtas dirigidos, 10 prêmios recebidos, 2 webséries e 1 webprograma, 3 pesquisas acadêmicas, 4 eventos produzidos, 2 webcanais desenvolvidos, 2 videoclipes, diversas participaçoes em festivais, fóruns, colóquios, 2 empresas criadas, 2 programas de rádio diários produzidos, diversas participaçoes em projetos terceiros e mais de 100 empresas atendidas.

Mas tem muito suor por trás disso. São mais de 400 vídeos produzidos, eu me dediquei a estudar atuação, canto, jornalismo, educação, locução, apresentação e direção de eventos e programas para a Internet e Publicidade, teoria da comunicação e, especialmente, empreendedorismo e administração de empresas criativas.

Para isso, eu me entreguei a uma formação holística que não se prendeu apenas à linguagem audiovisual, mas à aquisição de consciência corporal e vocal através de diferentes modalidades de exercícios físicos, aulas de canto, fonoterapia, atuação, redação para diferentes mídias e outros aspectos.

Hoje moro na Alemanha, onde também montei minha empresa produtora. Nesta jornada eu tive o prazer de poder presenciar diferentes práticas, técnicas, problemas e soluçoes para diversas ocasioes na hora de se produzir.

E eu estou ansioso em compartilhar todo este conhecimento com você.

Como profissional do vídeo, depois de tanto trabalhar, eu tenho sim um bom domínio da linguagem audiovisual e das ferramentas e técnicas de produção e sei da força que elas exercem sobre o produto final.

Mas, como empresário/empreendedor, eu devo dizer que esses conhecimentos têm menos valor do que um bom conteúdo aliado a uma boa performance no vídeo para quem quer se aventurar sozinho no mundo do video marketing / videoaulas.

 

Eu percebo que há uma grande quantidade de empreendedores iniciantes que precisam fazer seus vídeos sem grandes investimentos. E mais do que apenas apresentar seus produtos e serviços, muitas vezes é imprescindível que se coloquem na frente das câmeras para potencializar o diálogo e a transparência de seus negócios.

Preciso deixar claro desde já que é possível obter sucesso com vídeos caseiros e que tenho inúmeros exemplos no mundo dos info produtos que nao precisaram de uma equipe de filmagem e equipamentos profissionais para montarem seus impérios. Dentre eles: Seiiti Arata, Bruno Picinini, Paula Abreu, Rafaela Cappai, empreendedores que admiro há muito tempo.

Muitos dos grandes empresários digitais que vemos hoje, começaram com apenas uma webcam! Inclusive alguns dos citados acima.

Mas se você está lendo isso tudo e tem MEDO DA CÂMERA, não gostam de se ver ou de se ouvir (entenda o porquê neste post), ou simplesmente nao conseguem o resultado que gostariam de ver no vídeo, não tem problema: o método é também para você.

Acontece que antes de a gente entrar com profundidade no uso dos 5 Elementos do Audiovisual, a gente precisa limpar as bases. E nessa limpeza, a gente cuida do seu medo. Você vai ter um salto quântico no seu conforto no set de gravação, bem como na percepção da sua autoridade na frente das câmeras.

Essa foi a mais surpreendente constatação ao longo dos anos. Independente da profissão, no geral as pessoas têm mesmo medo da câmera ou não sabem como obter controle de suas imagens para potencializar resultados.

Se você acha exagero, saiba que estou generalizando mesmo, pois já vi professores, profissionais de altos cargos corporativos, empresários, cantores e até atores tremerem ou perderem toda a espontaneidade que possuem ao serem colocados em frente às câmeras.

Já passaram pelo método empreendedores digitais – dentre eles alguns famosos, cantores, fisioterapeutas, coaches, dentistas, professores, concurseiros, psicólogos, uma lista de profissoes de cair o queixo. E todos eles tiveram resultados positivos.

E eu sou muito grato por ajudar essas pessoas.

Você não imagina como essa troca é recíproca, como eu também aprendo muito com cada aluno, especialmente os que posteriormente se tornam meus amigos. Gratidão total.

Eu amo o que eu faço e você não pode esperar menos do que minha dedicação para gerar uma revolução neste mercado. Para que as pessoas não escondam suas personalidades em seus vídeos. Para que elas a utilizem como uma grande ferramenta de marketing para gerar conexão emocional.

Ter fãs ao invés de espectadores.

Eu espero realmente que você consiga aprender muito comigo e com o Falar pra Câmera. Que nós sejamos a mudança que você precisa para alavancar o seu sucesso com os seus vídeos.

Eu adoro receber feedbacks! Então eu te convido a deixar um comentário abaixo e a assinar a nossa lista. Assim que você entra na lista, você já recebe um curso gratuito – com área de membros, mp3 para downloads, materiais complementares e exercícios. Você vai aprender agora como fazer investimentos mais inteligentes em equipamentos!

Curtiu a proposta? Então eu espero te ver mais vezes por aqui.

Pin It on Pinterest