Críticas: Como lidar com elas e perder o Medo da Câmera

Críticas: Como lidar com elas e perder o Medo da Câmera
23 de julho de 2014 Vitor Alli

O Medo das Críticas é um dos grandes vilões do SET de gravação. Muitas vezes o que faz a gente travar é ficar imaginando o que é que os outros vão pensar, o que vão dizer…

No final, você acaba achando que este medo vem da sua personalidade, da sua timidez. Quando, na maioria das vezes, é apenas um problema de foco.

Livrar-se dessa sensação é definitivamente importante. A projeção negativa da opinião alheia só traz frustrações e alimenta de forma muito efetiva o nosso Medo da Câmera e os 3 Mitos da Produçao de Vídeos.

Sendo assim, neste post você vai aprender a:

  • saber quando o vídeo está pronto para ser lançado;
  • como lidar com as críticas e
  • como lidar com a auto-crítica.

1. Identificando o Medo

Pois é… tem gente que foge de gravar justamente porque fica antecipando as críticas e tentando prever tudo que o público vai comentar.

As pessoas que têm essa dificuldade tendem a projetar críticas que ninguém nunca nem vai cogitar fazer.

O grande problema de não saber lidar com as críticas, sejam elas internas ou externas, é perder o foco.

A elevada autocrítica também pode gerar um estado em que a gente passa a anular tudo o que tem de bom e focar apenas nos nossos defeitos.

Só que muitas vezes a gente nem sabe direito se esses são de fato defeitos; se o público desgostaria desses “defeitos”; ou mesmo se ele perceberia a presença deles.

Claro que existem vídeos em que a gente está certo de não mostrar, guardar ou deletar. Justamente porque foram feitos pra você mesmo. Experiências, testes. Eles geralmente não adicionam nada à vida de ninguém: nem informação, nem entretenimento.

Cadastre-se e acesse os conteúdos VIP's

Mas, então, quando é que a gente sabe que já pode pegar o vídeo e mostrar para os outros, lançar na internet e arriscar?

A resposta é simples: quando você reconhecer que a sua mensagem é valiosa.

E quando digo “valiosa” não quero dizer que é algo de outro mundo, super incrível, não. Apenas digo que esta mensagem vai ter VALOR pra alguém.

Alguém vai se beneficiar com o seu vídeo: vai rir, curtir uma boa história, se emocionar, ou aprender alguma coisa…

O problema é que muitas vezes a gente não sabe reconhecer este momento.

Nossa auto-crítica está tao alta que tudo parece ruim demais. Por isso é bom deixar o preciosismo de lado e traçar uma meta.

Assim você vai ter parâmetros para saber se o seu vídeo já pode ou nao ser lançado. Ou seja, se entregou o valor desejado, independente se você gosta ou não do vídeo, então ele está pronto.

O ego em evidência é um fator que atrapalha. A gente só se preocupa com “o que as pessoas vao achar da gente” quando a gente se coloca como o centro das atençoes.

Aliás, é mais ou menos isso que acontece nos casos de extrema timidez: achar que os outros se importam num nível muito mais alto do que de fato acontece.

Então…

  • tirar o foco de você e colocar na sua mensagem;
  • Reconhecer que o que você quer falar é relevante para o seu público, e entender que na verdade muitas pessoas estão órfas da sua informação…

… isso tudo ajuda muito a gente a esquecer o ego e ir à luta – trabalhar em prol de uma mensagem eficiente.

Entenda que críticas serão sempre bem-vindas. Mesmo! São elas que vão nos apontar caminhos reais de atuação.

São elas que nos colocam em contato com as impressões e os desejos dos nossos espectadores – mesmo que eles não consigam expressá-las da melhor forma.

O segredo de lidar com críticas é sempre tentar entender o que está por trás do que as pessoas falam. Tentar criar uma conexao genuína com o desejo delas.

Às vezes é difícil lidar com a rejeição, mas ela vai estar presente muitas vezes, não tem jeito.

Quem trabalha na Internet vai ter que lidar em algum momento com os Trolls. Eles são exatamente aqueles cidadãos que só sabem reclamar, que sempre querem mais, ou acharam que você copiou alguém e não fazem críticas construtivas, apenas difamação.

Eles se divertem com isso e eu acho que em alguma instância suprem alguma frustraçao ao falar mal do trabalho alheio.

É fácil identificar este tipo de comentário pois geralmente ele não faz sentido ou não se conecta com o seu tema de uma maneira mais genuína.

Por exemplo:
Você passa 5 minutos do seu vídeo falando sobre o seu tema e a pessoa vai lá e comenta que o seu cabelo é feio.

Ela na verdade não tem nada a acrescentar. Então não se sinta agredido, nem triste, nada.

Se você acha que dá para melhorar o seu cabelo no próximo vídeo, se você acha que tem algum sentido – ainda que mínimo, tudo bem, melhore.

Caso contrário apenas ignore ou leve na brincadeira.

Não se cobre muito por essas críticas. Avalie o que pode ser feito e faça. Só isso.

Mas a gente tem também um crítico interno que é um carrasco.

Sobre auto-crítica, a primeira coisa que a gente precisa ter em mente para conseguir proteger o ego é “se dar o direito de se sentir bem com você mesmo”. É o tal do conforto.

Para isso eu recomendo que a gente pense em uma coisa de cada vez. Passo-a-passo.

Porque apesar de a gente colocar muita importância no momento da gravaçao, no fundo ele é só um dos diversos processos.

Você teve que pesquisar e escrever antes de gravar. E depois de apertar o REC, você ainda vai fazer a edicao, colocar som, musica, publicar o vídeo… tem tanta coisa ainda pra acontecer…

Deixa pra fazer uma crítica mais consolidada quando você tiver o produto-final nas maos. Nao paralisa.

Perceba que o nosso crítico interno, a nossa auto-crítica, vai sempre aumentar os nossos defeitos para que eles escondam as nossas qualidades.

Por isso, sempre que uma afirmaçao crítica e limitante aparecer pra você, seja sua ou de outras pessoas, questione-se mentalmente:

Quem disse isso? Todo mundo? Quanto é todo mundo? Quem é todo mundo? Isso tem a ver com o foco do que eu quero dizer?

Aprenda a relativizar as críticas. Opinoes – suas e das pessoas – sao relativas. O que é bom ou bonito para mim, nao é bom ou nao é bonito para MUITAS pessoas.

Mesmo os grandes atores, os grandes comunicadores, diretores e artistas não conseguem controlar o que vai ser percebido de suas obras e, portanto, nao estao livres de críticas.

A nossa função é cercar o público de dados e informaçoes que os aproxime do que a gente gostaria que eles percebessem, sentissem, entedessem.

Esse é o objetivo geral de qualquer produto de comunicaçao.

Mas é importante saber que por mais duro que a gente trabalhe e obtenha certo controle sobre as nossas imagens, a gente nunca vai ter o controle total sobre o que o nosso público vai achar do vídeo.

O fato é que se a gente focar na transmissao da nossa mensagem, a gente já vai ter andado um bom caminho rumo ao conforto que a gente precisa. Mas as críticas estarao sempre aí.

 

Depois desta nossa pequena jornada, espero que você tenha adquirido informacoes suficientes para alimentar a sua confianca na hora de enfrentar a producao de vídeos.

Como vimos, é preciso retirar o ego do caminho, estar atento, observar e, o mais importante, ler as entrelinhas.

Sendo assim, vamos recapitular o que vimos neste post:

  • Quem nao lida bem com críticas perde o foco: acha que tudo está ruim e nao enxerga as potencialidades;
  • Estamos prontos quando oferecemos valor;
  • O problema do Ego em evidência;
  • O poder da leitura nas entrelinhas;
  • Como se relacionar com os Trolls;
  • Ocupe-se e vá etapa por etapa;
  • Deixe para estabelecer auto-críticas mais rebuscadas ao final do processo;
  • Relativize toda e qualquer crítica que receber.

Ficou com alguma dúvida? Sentiu falta de algum assunto? Comente abaixo!

Inscreva-se também no nosso canal do Youtube e confira todos os vídeos do Falar pra Câmera. Obrigado pela sua atençao e até a próxima!

Shares

  • Marcio Eugenio

    show otimo artigo!!

  • Excelente Vitor! Vou recomendar esse artigo, pois esse é um assunto recorrente. Muita gente tem medo de enfrentar a câmera e perde a oportunidade de compartilhar com o mundo suas ideias.

  • Edison Kawaguchi

    Sou seu Fã… continue sempre assim!!!

    • Obrigado, Edison! Continue ligado porque o mês de agosto vai ser repleto de novidades!

  • Eduardo Silveira

    Muito bom o artigo, de parabens mesmo!
    explicou muita coisa que ainda sofro dificuldade e acredito que todos que fazem video sofrem deste mal tambem…
    continue assim 😀

  • Priscila Leal

    Excelente! Tô aqui no meio de uma (tortura) gravação e estava mesmo precisando disso. 😉

    • Que bom que foi útil! Quero ver o resultado depois.

  • Excelente texto! Estou procrastinando a criação de um vlog justamente por eu ser muito auto-crítico. Estou há alguns meses aprendendo muita coisa sobre produção de conteúdo para o YouTube, como, criação de roteiro, pós-produção, iluminação, áudio, vídeo… Mas ainda não criei coragem pra botar tudo isso em prática!

    • É, Rodrigo… a gente coloca muita expectativa em cima dessas questoes técnicas que sao importantes, sim, mas no final elas nao substituem a essência do negócio que é você mesmo! Perder o medo é fundamental e assumir o controle da sua imagem para a câmera é o que vai ser o grande diferencial. Espero poder ajudar nessa jornada!

      • Valeu Vitor! Vou criar coragem… Se eu não conseguir, vou criar galinhas, pelo menos terei ovos!!! rs.

Pin It on Pinterest

APRENDA A INVESTIR NOS EQUIPAMENTOS CERTOS COM ESSE CURSO GRATUITO

x